CONHEÇA A BAIANA BOSSA, BANDA LANÇADA NA INAUGURAÇÃO DO NOVO CAJUEIRO


CID FIUZA


Jornalista, especialista em educação à distância, escritor, músico e produtor cultural. Possui mais de 15 anos de atuação nas referidas áreas. Atualmente, assessora os conteúdos on e off do Colégio Nobre, Hospital Incardio, Clínica Portal da Saúde, Faculdade Nobre, UNEF (Unidade de Ensino Superior de Feira de Santana) e de diversos produtos culturais e artistas. Acumula experiências em gestão de projetos, tanto da iniciativa privada quanto da esfera pública. Entre os exemplos da sua atuação está a participação direta em diversos projetos viabilizados por editais como o Pró-Cultura, Fazcultura, Petrobrás etc. É também produtor e músico da banda Calango Tião, projeto que leva alegria e defende a música regional por toda a Bahia. Como diretor musical, músico e produtor, conduz, atualmente, o projeto solo dos cantores Thiago Oliver, Márcia Porto e Lorena Porto.
Junto com um dos principais nomes da literatura brasileira da atualidade, a escritora Nívia Maria Vasconcellos, Fiuza segue com seu trabalho de direção musical e compositor para o projeto Musikè & Poiesis. É pesquisador da vida e obra de Luiz Gonzaga, tendo como produto o livro 'Rei do Baião', Cultura Popular ou Cultura de Massa: uma Incorporação da Estética Gonzaguiana pelos Mass Media. Foi professor de oficinas de violão, com destaque para a que foi promovida no Hospital Estadual da Criança. Recentemente, conduziu como músico e produtor a Roda de Samba Conexão Rio Bahia que reuniu músicos de Feira de Santana e do Rio de Janeiro e lotou o Criôlo Culinária e Arte, espaço da cantora feirense Simone Sampaio.


Atualmente, dedica-se à direção musical do show de lançamento da temporada FOLHETIM, com canções de Chico Buarque interpretadas pela cantora Lorena Porto no Teatro do CUCA, em Feira de Santana/BA; ao projeto encantador de iniciação musical para crianças Maria, Escombone e o Violão Encantado; a produções culturais diversas, sobretudo, à produção do show de lançamento do novo disco da cantora feirense Márcia Porto, previsto para setembro de 2017, onde atuou prioritariamente como diretor musical; e ao seu projeto de mestrado em Cultura, Desenho e Interatividade da UEFS – Universidade Estadual de Feira de Santana - onde pesquisa a obra de Luiz Gonzaga.


LORENA PORTO


Cantora e compositora. Atriz e produtora de cultura desde 1998. Jornalista e profissional de marketing há 15 anos. Possui reconhecida experiência na geração de conteúdos em plataformas midiáticas O2O. Destaque para sua atuação como assessora de imprensa criteriosa e detalhista.


Em 19 anos de atuação artística, carrega experiências relevantes em diversos estados brasileiros, a maior parte do tempo integrando a Cia Teatrelados de Teatro, liderada pela diretora e dramaturga baiana Susana Vega. Este grupo montou espetáculos premiados no Festival Nacional de Teatro de Curitiba, no Festival Nacional de Teatro de Presidente Prudente, e no Prêmio Braskem, considerado o “oscar do teatro baiano” com a montagem infantojuvenil “Noção Brasileira”. Integrou o elenco da peça “Martins, que Pena!” apontada como uma das 10 melhores comédias do teatro brasileiro pelo Jornal Folha de São Paulo. Outras montagens teatrais fazem parte do currículo artístico de Lorena Porto como “Chicos, a comédia que todos querem ver” (Fenômeno de público e crítica) e “Encarceradas”, montagem sociocultural que promove a reflexão sobre o sistema prisional do Brasil com recorte no universo feminino. Produziu diversos shows e eventos particulares em Feira de Santana, Bahia, seu principal raio de atuação.


Cotada para ancorar filmes publicitários e cinematográficos, tem rico e premiado portfólio como atriz, apresentadora e mestre de cerimônias. A convite da Prefeitura Municipal de Feira de Santana (BA), chefiou a Divisão de Cultura Popular deste município. Produz o Circuito Cultural Belgo Bekaert na Bahia pela Lei Rouanet, incentivo cultural do Governo Federal, em parceria com a Lima Produções Artísticas (BH) e a Belgo Bekaert, beneficiando milhares de crianças e jovens carentes. Produziu o processo de estudo e montagem do Diagnóstico Cultural de Feira de Santana (BA), também pela Lei Rouanet, em parceria com pesquisadores do Galpão Cine Horto, da Habitus Pesquisa de Belo Horizonte (MG) e com a Belgo Bekaert Arames.


Como cantora, hoje, mergulha profundamente no mercado fonográfico, inclusive infantil, dedicada a compor e a se apresentar em shows cheios de graça e personalidade. Na sua cidade natal, não se furta em participar de eventos locais como a Feira da Praça, shows em teatros e eventos particulares. Apaixonada pelo samba, ao lado do músico e produtor Cid Fiuza, conduziu como cantora, produtora e assessora de imprensa, a Roda de Samba Conexão Rio Bahia que juntou sambistas cariocas e músicos baianos em um evento que movimentou o Criôlo Culinária e Arte (BA). Seus shows para o público adulto têm perfil intimista e apresentam canções autorais e clássicos da música brasileira, bossa nova, samba, jazz... mas é a música do nordeste que Lorena Porto defende com maior satisfação. Pelo Brasil afora, circula grandes hotéis a exemplo do Sheraton Leblon (RJ), onde fez uma participação cheia de bossa no show da cantora carioca Roberta Barce.


Atualmente, dedica-se à montagem do show de lançamento da temporada FOLHETIM, no Teatro do CUCA (BA), onde canta Chico Buarque e seu reconhecido talento em compreender a alma feminina; ao seu primeiro disco autoral dirigido pelo músico Cid Fiuza; e ao projeto encantador de iniciação musical para crianças Maria, Escombone e o Violão Encantado, que teve disco independente lançado pelo estúdio Via Sonora em fevereiro de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pages